Da onde vem o vibrador?

vibrador

Quem acha que o vibrador é uma invenção nova e foi desenvolvida para propiciar à mulher prazer sexual engana-se. O filme HisteriaA História do Vibrador, que foi lançado no Brasil em 2012 e dirigido pela cineasta Tanya Wexler, conta de forma bem humorada os primórdios do aparelho.

“massagem na vulva era um santo remédio

Embora o filme se passe na Londres vitoriana, no século 19, a histeria, doença exclusivamente feminina, da qual se fala no filme, foi definida ainda nos séculos anteriores e tinha como sintomas irritabilidade, insônia, dores de cabeça, ansiedade, falta de apetite, entre outros. Para curar esse mal, descobriu-se que a massagem na vulva era um santo remédio.

“A vagina servia apenas para procriação, assim pensavam os especialistas da época”

Porém, a sociedade não encarava a vagina como um órgão que fosse fonte de prazer para a mulher, mas sim, que servia apenas para a procriação. Assim, era comum a prática nos consultórios médicos do tratamento que consistia em massagear o clitóris até que a mulher atingisse o “paroxismo histérico”, o qual, atualmente, chamamos de orgasmo.

Mas como algumas pacientes demoravam mais para se acalmarem com o tratamento, o procedimento podia durar horas e os médicos começaram a desenvolver problemas nas mãos. Assim, em 1869, o médico norte-americano George Taylor patenteou o primeiro vibrador, que batizou de “The Manipulator”.

“em 1902 foi lançado o primeiro massageador elétrico – da empresa Hamilton Beach”

O aparelho que funcionava a vapor foi inserido nos consultórios, facilitando o tratamento da histeria. Já em 1880, o inglês Joseph Mortimer Granville modernizou a invenção que passou a funcionar à manivela. Mas a revolução ocorreu em 1902, quando a empresa norte-americana Hamilton Beach lançou o primeiro massageador elétrico, assim, poderia ser levado para casa.

“Vibradores eram aparelhos normais até aparecerem em filmes pornográficos”

Até a década de 1920, o vibrador era divulgado em revistas como qualquer eletrodoméstico. No entanto, quando o aparelho começou a aparecer em filmes pornográficos, mostrando que o invento servia para proporcionar prazer à mulher, aos poucos, perdeu a sua finalidade terapêutica perante a sociedade e, por isso, começou a desaparecer das revistas e das prateleiras.

Pode-se dizer que por algumas décadas ele se tornou um aparelho marginalizado, mas retornou nos anos 60 junto com a revolução sexual feminina. Hoje em dia, é um dos brinquedinhos preferidos das mulheres, embora ainda existam tabus quanto ao seu uso. Já a doença histeria só foi abolida pela Associação Americana de Psiquiatria em 1952.

A Sociedade não entendia o orgasmo feminino e vibradores eram vendidos ao lado de ferro elétrico e torradeiras, hoje criamos um tabu em cima do vibrador, será que não é apenas coisa da nossa cabeça? Comente, o que você acha, vibrador deve ser considerado um tabu ou você acha que a sexualidade feminina hoje esta mais seria e encarada de outra forma?

Deixe seus comentários!

Aproveite e acesse nossa sessã loja de vibradores, você vai achar um que vai com certeza levar a muitos orgasmos e ainda você vai tratar a histeria (rs)

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*